terça-feira, setembro 13, 2005

Negação


Olha-me, deseja-me, mede-me com a tua luxúria.
Mas não me toques.
Sente o meu aroma a terra molhada, a sol, a madrugadas.
Mas não me toques.
Recusa em mim os teus dedos errantes
Nega a sede que vem da minha fonte aberta
Fremente. Pulsante. Viva ainda.
Sente o desejo que escorre das minhas coxas
E ouve os meus gemidos feitos de ausências, de nadas
Deleita-te com o meu toque
Suspira ... Aproxima-te...


Mas não me toques.
Se me tocares...


Acaba-se a magia, fecha-se o sonho em melancolia
Instala-se a realidade e fico só eu.. Só nós...


E eu não serei mais fêmea, mulher, criatura inventada
E tu serás fantasia, delírio, o fim de tantos sonhos.


Por tudo isso, não me toques. Vê. Deseja.

Quer. Suspira.

Quando acordarmos... Vamos ser nós outra vez.
Maria, 13/09/2005

4 Comments:

At 10:09 da tarde, Anonymous O Vizinho said...

Hummmm... coitado do rapaz!

 
At 10:59 da tarde, Blogger Maria vai c'as ostras said...

Vizinho, os olhos também comem... também tem a sua piada, né?

E obrigado pela visita... Volte sempre!

 
At 9:35 da manhã, Blogger São Rosas said...

Piada terá... ele roer-se todo...

 
At 11:35 da manhã, Anonymous Shortbow said...

Teaser!!!

hum... tem possibilidades... :P

 

Enviar um comentário

<< Home





my pet!


referer referrer referers referrers http_referer
Web Site Counter
Counters