segunda-feira, novembro 28, 2005

Bela Adormecida


Foste brisa, mar, areia em repouso,
Concha pequenina rolada em silêncio...
Foste o barulho da onda, silencioso,
Foste tudo para mim, foste imenso...

E surgiste. Qual titã despertado, enfim,
Do sono maldito dos milénios,
Só para me veres inteira, assim,
Sem véus, sem máscara. Sem mistérios.

E vieste. Se mais cedo fosse, nada seria,
Só o tempo certo decidiu o tempo
Que a bela para sempre dormiria...

E foi só um beijo, uma só carícia,
Um toque leve do roçar de um anjo...
E da noite escura se fez claro o dia.

Maria, Novembro 1996

3 Comments:

At 8:05 da tarde, Anonymous charlie said...

Lindo maria ;)

 
At 9:27 da tarde, Anonymous LolaViola said...

Bemmmmm. Um soneto tão doce e tão perfeito. Um sorriso enorme para ti esta noite :-)

 
At 10:42 da tarde, Anonymous Maria said...

Obrigada aos dois. Nota-se que a Maria estava mesmo... meeeesmo apaixonada, não? Se fosse agora, escrevia o Coro dos Tribunais... Enfim, memórias de outros tempos. Visitem sempre... Jinhos

 

Enviar um comentário

<< Home





my pet!


referer referrer referers referrers http_referer
Web Site Counter
Counters